Como você iniciou sua carreira ?

   Fui para Belo Horizonte muito jovem para estudar e eu fiz direito, mas eu tinha muita vontade de trabalhar com o jornalismo e depois que me tornei advogado que eu fui fazer o curso de jornalismo e trabalhei na área política trabalho até hoje, trabalhei em redação, assessoria, mas minha paixão sempre foi o futebol, minha paixão sempre foi o galo. Tanto é que eu não faço o menor segredo eu não sou imparcial, sou completamente parcial, o galo para mim é o melhor do mundo em qualquer circunstância, estando ou não estando bem é o melhor time do mundo. Atualmente então eu estou nadando de braçada por que desde 2012 nós estamos ganhando tudo. Então na verdade como jornalista eu nunca tive segredo disso e faço questão de não ter, eu sou um jornalista assumidamente atleticano. Tanto que atualmente, eu estou fazendo o blog do galo no Uai Super Sports, tem cerca de dois meses, estou felicíssimo com o retorno que está tendo, que não é meu é do galo, a força do galo que dá esse retorno que está deixando o blog a cada dia com um crescimento cada vez mais acentuado de acessos. Eu posto duas vezes por dia alguma coisa que tem a ver uma resenha pequena, um caso antigo, uma historinha, sempre em torno do nosso time do coração.

 

Conte-me uma experiência que te marcou muito na sua carreira?

 

   Eu fiz viagens, fui sair do Brasil para acompanhar o galo, Paraguai, Marrocos, Espanha, México, e nessas viagens todas cada uma tem coisas interessantes. Paraguai a gente saia na rua ás pessoas só faziam o quatro para gente por que a Bolívia estava tentando conquistar a quarta libertadores. E nós voltamos depois de uma derrota, nossos ônibus todos foram apedrejados do trajeto do estádio até o aeroporto, em Marrocos fomos muito festejados, a gente passava e as pessoas gritavam galo e festejam Brasil, galo, Atlético Mineiro, e na passagem pela Espanha na ida e na volta no aeroporto ás pessoas todas vestidas de camisa do galo festejavam, no México exatamente em Guadalajara da mesma forma, a marca galo é uma marca muito forte então foi marcante não por mim, foi marcante pelo time do galo e está para ter muitas esse ano, acho que vou á Argentina, talvez ao México e ao Japão que inevitavelmente o galo vai em Dezembro desse ano.

 

Quais foram os desafios que você teve em sua carreira?

 

 

 

 

 

 

    Desafio é uma coisa muito difícil, é aquilo que você quer e é difícil de atingir, como eu tive a sorte e a felicidade de ser atleticano, então os desafios foram mais fáceis, porque desde a minha primeira postagem do blog no Uai Super Sports, eu falo que escrever sobre o galo é uma coisa muito fácil, escrevo de paixão. Eu tenho um amigo Valdoveu que tem uma frase fantástica “O galo não precisa ganhar basta insistir ", imagina o seguinte o galo ganhando como está fica fácil demais, então talvez o desafio  embora não tenha trabalhado para isso foi ter sido distinguido, entre milhões de atleticanos que nós somos, fui convidado pelo uai para fazer o blog do galo, não que eu tivesse trabalhado, buscado  esse objetivo, mas aconteceu, eu fui premiado com isso, e hoje tem uma média de três, quatro mil acessos que me deixa profundamente feliz, consciente de que não sou eu, o sucesso é do galo.

 

 

Qual o conselho que você deixa para aqueles que estão entrando ou já estão na profissão?

Se for atleticano que nunca abandone a sua paixão, agora se torcer por outro time, seja imparcial e reconheça que o galo é superior a qualquer outro.

 

Izabela Cardoso

Eduardo de Ávila - Jornalista

PERSONAGEM DE UMA HISTÓRIA