DESDE 1939 - UTILIDADE PÚBLICA MUNICIPAL E ESTADUAL

Entrevista com Rafael Henzel

Entrevista feita com o Jornalista Rafael Henzel , que atualmente trabalha como locutor para a Rádio Oeste Capital FM, da cidade de Chapecó,Santa Catarina .  Ficou muito conhecido após sobreviver ao acidente de avião que levava os jogadores da Chapeconse para Medellín,na Colômbia, que deixou 71 mortos e 6 feridos .

Rafael Henzel nos contou um pouco sobre o ocorrido  e o que mudou em sua após o acidente  .

  • O que mudou na sua vida como jornalista e como pessoa depois do acidente?

Eu lá na Colômbia, ainda na UTI já havia programado toda a minha vida, que eu ia voltar a ser a mesma pessoa, mas que de repente pudesse parecer impossível.

Relacionado ao lado profissional já queria voltar a transmitir os jogos, mas não sabia se a Chapecoense ia continuar ,como seria, mas continuei transmitindo.

Quanto ao lado pessoal, nós não somos um “Monge Tibetano” né? , nós temos os nossos momentos de tristezas e alegrias, os momentos de tensão, mas é saber equalizar tudo isso para que não tenhamos problemas maiores. Eu sempre falo, eu tirei muito o que achava que era problema na minha vida, você não vai deixar de resolver e virar um problemão obviamente, mas eu tirei isso da minha vida, hoje eu consigo controlar mais e pra me apresentar um problema tem que ser um problema mesmo, senão eu relevo e dou a ele a importância necessária apenas.

 

  • O que você achou das publicações e matérias que alguns sites fizeram sobre você depois do ocorrido?

Como jornalista eu descobri, descobri não, nós temos a comprovação de que o mundo tá muito acelerado na informação, as pessoas não tem certeza de nada, mas publicam tudo. Publicaram que eu tinha perna quebrada e eu não estava com a perna quebrada, falaram que eu conversei com a minha família, porém não conversei. Então foram criando informações a partir de boatos e fizeram manchetes, manchetes e manchetes. Foram criando, pois era um momento que precisava de muita informação, principalmente no primeiro dia, depois as coisas foram se acalmando e ficando mais fácil.

 

  • Essas manchetes refletiram em você de alguma forma?

Confesso que me surpreendi com as notícias que falavam sobre meu estado de saúde, diziam que eu tinha isso, que tinha aquilo e ai eu cheguei até a tuitar sobre isso dizendo que fiquem sabendo da minha situação por tal blog ai invés de ser pelos médicos.

Nós como jornalistas temos que entender isso né? .Porque toda a informação que nós damos, vai repercutir em alguém de alguma forma e eu notei muito isso, tinha muita Fake News (Notícias Falsas) no meio ou até der repente falta de informação para divulgação.

Jéssica Araújo.

No Comments Yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *